ESQUECEU SUA SENHA?

*

Conheça

Conheça

nossos planos e preços

Venha nos conhecer, não é preciso agendar. Teremos prazer em recebê-lo.

Nossos Níveis Educacionais

Cuidado desde berço até a alfabetização. Conte com profissionais dedicados à desenvolver as habilidades individuais do seu filho e promover a socialização dele em um ambiente desafiador e cheio de magia...

LEIA +

Berçário

Berçário

Nossas premissas básicas: confiança, transparência e experiência transmitida aos pais.

Infantil

Infantil

Buscamos o desenvolvimento da criatividade e aprimoramento da linguagem, respeitando os limites de cada aluno.

Fundamental I

Fundamental I

Nessa fase, estamos focados em tornar o seu filho um cidadão e prepará-lo para os desafios que existem fora da escola.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Veja +
  • Dia Nacional da Língua Portuguesa
    05 Novembro 2018 por Mundo Mágico, em Comunicados
    Dia Nacional da Língua Portuguesa
    Dia 27/10/2018, um dia para ficar para sempre em nossa memória. Em Agosto iniciamos o projeto....
    Leia mais…
  • 7 de Setembro - Dia da Independência do Brasil
    06 Setembro 2018 por Mundo Mágico, em Educação
    7 de Setembro - Dia da Independência do Brasil
    O Brasil se tornou independente de Portugal no ano de 1822. Foi proclamada pelo, na época príncipe...
    Leia mais…
  • Curso de Férias 2018
    19 Junho 2018 por Mundo Mágico, em Comunicados
    Curso de Férias 2018
    INFORMATIVO CURSO DE FÉRIAS NA ESCOLA Brincadeiras de quintal, Cineminha, Contação de Histórias,...
    Leia mais…

E agora? Meu filho está doente demais para ir à escola? PARTE I

 

Ninguém gosta de ver um filho doente, não importa a idade, criança doente é sempre um momento de muita tensão para os pais. Mas afinal, quais sintomas exigem preocupação em relação à ida do meu filho à escola?

 

Em tese, seu filho não deve ser levado para a aula, caso ele esteja com alguma doença contagiosa e que consequentemente, coloque em risco a saúde das demais crianças. Porém, nem sempre é possível diagnosticar a criança ou saber com certeza o que ela tem, sem antes consultar um médico.

 

Por isso, seguem algumas sugestões de quando não mandar seu filho para a escola:

 

 

- Em caso de febre: a febre por si só, já caracteriza algum processo infeccioso que exige atenção dos pais. Por isso não é recomendado que a criança saia de casa;

 

 

- Quadros respiratórios: por vezes a criança apresenta coriza e espirro (o que naturalmente é considerado um resfriado comum e quando não há apresentação de um quadro de febre, não há necessidade de grande preocupação, pode mandar para a escola e solicite observação das cuidadoras, caso haja piora no quadro, você será informado). Porém, se a criança estiver com febre, já não dá mais para tratar como um resfriado simples, e aí é preciso cuidado ao diagnosticar e medicar a criança. Sugerimos que consulte sempre um médico.

Em caso extremo, como diagnostico de coqueluche, por exemplo, é preciso que a criança permaneça em casa no mínimo cinco dias depois de ter iniciado o tratamento com antibióticos;

 

 

- Diarreia e vômito: sintomas que podem aparecer em consequência de uma virose estomacal e seu filho precisa ficar em casa até dois dias depois do quadro já ter sido normalizado;

 

 

- Conjuntivite e secreção amarelada nos olhos: significa que seu filho não pode ir à escola, nem ter contato com outras crianças. Perigo alto de contágio;

 

 

- Erupções de pele: na dúvida do que elas realmente significam, consulte um médico e peça a ele uma instrução se é, ou não, contagioso. Se o médico liberar a criança para ir à escola, o ideal é que isso seja feito por escrito, para que professoras e/ou cuidadoras estejam cientes do problema;

 

 

- Manchas na pele, vermelhidão ou bolinhas pelo corpo: se estiver acompanhada de febre, podem ser sinal de catapora, escarlatina, roséola ou até mesmo sarampo. Não existe possibilidade de um diagnóstico sem consulta a um médico, por isso, na dúvida, leve seu filho primeiro ao médico e não à escola;

 

 

No próximo post, iremos pontuar algumas medidas para que a criança possa retornar o mais rápido possível à rotina escolar. Até a próxima!

 

Acesse: 

E agora? Meu filho está doente de mais para ir à escola? PARTE II

 

 

 

Leia também:

Pai século XXI

A magia da infância ultrapassando os limites do saber... 
Topo